Novidades

Fé, quantidade ou qualidade?

“Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste”. Mateus 6.1. Confesso que às vezes não tenho paciência com cristão afetado. Nomeio assim aqueles que gostam de exalar “rituais” ou “disciplinas” espirituais a cada duas palavras ou […]

Fé

“Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste”. Mateus 6.1.

Confesso que às vezes não tenho paciência com cristão afetado. Nomeio assim aqueles que gostam de exalar “rituais” ou “disciplinas” espirituais a cada duas palavras ou baseados em atos praticados durante a convivência diária. Eles fazem de tudo para se mostrar espirituais, adoram a imagem de super-heróis gospel. O consultório me mostrou que as máscaras da religiosidade escondem muitas vidas, quando, na verdade, o discurso religioso estava distante da verdadeira espiritualidade.

Gosto de cristãos atípicos, não esteriotipados. Nomeio assim aqueles que não são tomados pelo “evangeliquês”, mas mostram um Deus sempre acessível e distante de “pré-conceitos”. Muitos destes não são expert no cumprimento dos modelos espirituais-padrão, mas fazem coisas extraordinárias em Deus quando ninguém está vendo.
Nesse texto, Jesus nos fala dos motivos do coração, das intenções. Ele nos mostra que o Pai lê o interior, também nos fala que a vida com Deus não é quantitativa, é qualitativa.
Em uma sociedade viciada em produtividade, a fé não deve ser “numerológica”, tampouco produção religiosa. Deve ser vivida no coração. Não era a quantidade de esmolas ou de orações que seriam vistas pelo Pai que está nos céu, mas a intenção por trás dessas ações.

Podemos ser superprodutivos em atividade eclesiásticas, ao mesmo tempo que essas obras sejam movidas por orgulho, vaidade, autocomiseração ou barganha com Deus. Dessa forma terão pouco ou nenhum valor. Oremos para andar no Espírito, não na carne. Que possamos nos submeter ao Raio-X de Deus. Muitos se mostrarão surpresos com o galardão do Pai. Alguns por acharem que não iriam receber. Outros por não receberem nada apesar de terem feito muito.

Texto: Dr. Ismael Sobrino (Autor do livro Depressão: o que todo cristão precisa saber, publicado por Editora Vida )
siga no instagram: @ismael.sobrinho

Blog da Vida

Dicas e novidades sobre o mundo editorial